CORONAVÍRUS (COVID-19)
Disk CIEVS

PARCERIADoutora em Geociências e pesquisadora da Fiocruz colabora com Semana Digital de Meio Ambiente

04/Jun/2020 - 17:25

Sandra Hacon já representou o Brasil no Programa de Monitoramento Global dos Poluentes Orgânicos

Atendendo convite do Departamento de Gestão de Políticas Ambientais e Mudança Climática, da Subsecretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema), a doutora em Geociências e pesquisadora da Fiocruz, Sandra de Souza Hacon, colaborou com a Semana Digital de Meio Ambiente, iniciada na última segunda-feira, 01 de junho. Devido à pandemia, esse ano, a Sema promoveu as atividades de forma virtual, com a disponibilidade de conteúdos, em vídeos, áudios, banners, e reportagens nas redes sociais e portais oficiais com especialistas alertando e orientando sobre os mais diversos assuntos como queimadas, saneamento básico, reaproveitamento de alimentos, compostagem e descarte correto de materiais de proteção.

Sandra disponibilizou um áudio com informações reforçando a importância de se combater as queimadas, principalmente porque este ano o mundo inteiro vive uma situação mais complexa por causa do novo coronavírus. Falou ainda sobre o desmatamento que de janeiro a abril deste ano foi de 1073 km². “Essa quantidade de km² representa um aumento de 133% em relação 2019. São áreas que posteriormente serão queimadas. Em abril o Sistema de Alerta de Desmatamento detectou 529km² de desmatamento na Amazônia Legal, isso se refere a um aumento de 171% em relação a 2019. Esse desmatamento aconteceu no Pará, Rondônia, Amazonas, Roraima e Acre. Ano passado tivemos uma grande demanda nas unidades de saúde em decorrência das queimadas e aumento expressivo da poluição do ar”, disse ela.

A doutora ressaltou que a associação da pandemia, presente hoje, com as queimadas poderá agravar terrivelmente a situação de saúde da população, como piorar a péssima imagem que o Brasil já apresenta no exterior dificultando ainda mais a retomada da economia com o apoio internacional. “Todo cidadão tem o direito e o dever de denunciar as queimadas aos órgaos responsáveis. Não devemos esquecer que queimada é crime”, enfatizou.

BAIXE O ÁUDIO AQUI: /uploads/editor/files/VID-20200604-WA0066.mp4

Fumaça causa dano genético

Sandra Hacon foi autora de pesquisa que indica que a fumaça das queimadas impacta na saúde da população a ponto de causar danos no DNA e morte das células dos pulmões. O estudo pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) foi publicado na revista científica Nature, em 2017 e demonstra que pela primeira vez, foi possível demonstrar que as partículas de queimadas da Amazônia ao entrarem nos pulmões aumentam a inflamação, o estresse oxidativo e causam danos genéticos nas células de pulmão humano. “O dano no DNA pode ser tão grave que a célula perde a capacidade de sobreviver e morre. Ou esta célula perde o controle celular e começa a se reproduzir desordenadamente, evoluindo para câncer de pulmão”, relata a pesquisa.

A pesquisadora foi representante do Brasil na segunda fase do Programa de Monitoramento Global dos Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs) para a América Latina e Caribe (Grulac). Ela foi designada pelas Nações Unidas, com aprovação do Ministério das Relações Exteriores.

Currículo

Sandra é graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, tem mestrado em Controle da Poluição Ambiental - Mancherter University, Reino Unido (1981) e doutorado em Geociências (Geoquímica Ambiental) pela Universidade Federal Fluminense (1996). Está lotada na Escola Nacional de Saúde Pública da Fundação Oswaldo Cruz, integrante dos programas de pós-graduação de mestrado de doutorado em Ciências Ambientais da Universidade estadual de Mato Grosso e da Escola Nacional de Saúde Pùblica da Fiocruz. Atua na área de Avaliação de Risco à Saúde Humana, Ecotoxicologia, Gestão Integrada de Saúde e Ambiente e Avaliação de Impactos à Saúde das Mudanças Climáticas e de Grandes Empreendimentos. Coordena vários projetos de pesquisa financiados pelo CNPq, FAPERJ, FINEP, CAPES, setor privado, atua como pesquisadora em projetos interdisciplinares com a UNEMAT, INPE, UNB, USP, UFRN, USP, PUC/RJ, UFCE, FIOCRUZ, projetos internacionais com a Universidade de Exeter no Reino Unido, Instituto Tropical de Epidemiologia e Sáude Pública de Basel e a Universidade de Basel na Suiça. Na área acadêmica responsável por disciplinas nos cursos de pós-graduação da ENSP/FIOCRUZ, orientadora de mestrado e doutorado nos cursos de pós-graduação de Saúde Pública e Meio Ambiente da ENSP/FIOCRUZ e do Programa de CIências Ambientais da Universidade estadual de Mato Grosso ( UNEMAT). Representante do Brasil no GT do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente referente ao Programa de Monitoramento da Implementação da Convenção de Stockholm por indicação do Ministério do Meio Ambiente. Integrante da parceria Fiocruz- Opas/OMS do Centro Colaborador em Saúde Pública e Ambiental da Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (Opas/OMS). (foto: Sandra Hacon/ Fiocruz/Divulgação)

logotipo da prefeitura de porto velho logotipo da prefeitura de porto velho